Translate

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Morte... O que a Bíblia diz?

Nos últimos dias, por causa do falecimento de Michel Jackson, a morte tem sido assunto em muitos ambientes. Ela é a única certeza que todo ser vivo tem, e ainda assim é um assunto evitado pelas pessoas, que não gostam de considerar a perda de um ente querido, ou enfrentar o fim da sua existência corporal no mundo. Por isso, nem todos se preparam adequadamente para este momento.

Sobre a morte, a Bíblia diz: E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo, Assim também Cristo, oferecendo-se uma vez para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação. (Hebreus 9.27, 28).

Em Romanos 5.12, lemos: Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram. Em Romanos 6.23 lemos: Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor.

Morrer uma vez faz parte da existência humana, e após essa morte cada pessoa é julgada. Entretanto, aqueles e aquelas que reconhecem Jesus Cristo como Senhor, não têm razão para temer a morte, porque Ele a venceu por nós (1 Co 15.55-57).

Nos entristecemos, sentimos a dor da separação, passamos pelo processo do luto em todas as suas dolorosas fases, mas descansamos em Cristo, e cremos que o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor.
A pessoa enlutada precisa de acolhimento, paciência e atenção. Jargões do tipo "Com o tempo passa...", "Pense em tudo o que você ainda tem e agradeça a Deus", "Fique contente porque ele não sofreu" devem ser evitados. Ouvir e respeitar o silêncio é uma boa prática.

Cada pessoa deve passar pelo processo do luto vivendo cada fase, não é saudável queimar etapas.

Como cristãos, e cristãs, somos chamados a consolar os que choram, e a chorar com eles. Em Romanos 12.15 lemos: Alegrai-vos com os que se alegram; e chorai com os que choram.

Soli Deo Gloriæ!

Pr. Alfrêdo Oliveira
Postar um comentário