Translate

quinta-feira, 5 de julho de 2018

Uma Questão de Saúde





Examinais as Escrituras,
porque julgais ter nelas a vida eterna,
e são elas mesmas que testificam de mim.
João 5.39

Alimentar-se é, segundo a teoria de Abraham H. Maslow, uma das necessidades fisiológicas primárias para todo ser humano, uma vez que dela depende a sobrevivência do corpo, fisicamente falando. Para que se tenha saúde, é preciso que haja uma alimentação saudável, o que nem sempre acontece, por várias razões.

Na vida cristã, o alimento espiritual também não pode ser negligenciado, sob pena de tornar-se nanico na fé e anêmico espiritual, isto é, na linguagem popular, pessoas sem sustança. A boa notícia é que o alimento espiritual está acessível, através do estudo da Bíblia Sagrada, que deve ocorrer na esfera particular (devoção pessoal) e na esfera pública, ou comunitária.

A Igreja Presbiteriana Memorial proporciona várias oportunidades de nutrição espiritual, entre elas: Cultos, PG’s (Pequenos Grupos), e EBD (Escola Bíblica Dominical), que a partir deste domingo iniciará na EBD uma jornada através da Confissão de Fé de Westminster (CFW), um dos símbolos de fé da Igreja Presbiteriana do Brasil (juntamente com Catecismo Maior de Westminster e Breve Catecismo de Westminster).

Em uma época marcada pela ignorância bíblica, e pela falta de identidade e identificação doutrinária, é salutar reafirmar a confessionalidade da Igreja, isto é, que a CFW resume a fé professada, e é a exposição fiel do que se crê, tendo como fundamento e regra a Bíblia Sagrada.

Nos próximos três meses as classes de adolescentes, jovens e adultos, aprenderão o conteúdo da CFW e a aplicabilidade destas verdades às realidades específicas de cada um dos grupos.

Matricule-se!

Venha e traga sua família para estudar na maior Escola do mundo.

Examinais as Escrituras,
porque julgais ter nelas a vida eterna,
e são elas mesmas que testificam de mim.
João 5.39

Ad Majorem Dei Gloriam! (Para a Maior Glória de Deus!)


(Publicado no Boletim Dominical da Igreja Presbiteriana Memorial, em 08 Jul 2018)



quinta-feira, 28 de junho de 2018

A Igreja, Uma Noiva Amada





25Maridos, amai vossa mulher, como também
Cristo amou a igreja
e a si mesmo se entregou por ela,
26para que a santificasse, tendo-a purificado por meio da lavagem de água pela palavra, 27para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, porém santa e sem defeito.
Efésios 5.25-27

Entre as figuras usadas pelas Escrituras para descrever a Igreja, está a noiva. Esta figura ajuda a compreensão do que é ser Igreja, e demonstra o alto valor do casamento, instituição criada por Deus no Éden, antes da queda, e que permanece como ideal de Deus para o ser humano, como célula mater da sociedade.

Em Efésios, a Bíblia diz: Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela. A ênfase, neste texto da tradição parenética paulina, é ensinar os papéis que cada membro da família deve desempenhar no lar, e, então, a relação marido/mulher deve inspirar-se no amor do noivo/noiva – Cristo/Igreja. Diante disso, algumas lições devem ser apreendidas.

ü  A Igreja é profundamente amada por Cristo, que por ela deu a Sua vida (v25);
ü  A Igreja deve ser santa e pura, tendo como critério aferidor a Palavra de Deus (v26);
ü  A Igreja deve apresentar-se ao Seu noivo – Jesus Cristo – gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, porém santa e sem defeito (v27 e Apocalipse 19.8).
ü  A Igreja, em sua trajetória nesta terra, deve ser fiel ao Seu Noivo, Mestre e Senhor (2 Coríntios 11.2; Efésios 5.24).
ü  A Igreja tem por alvo e destino final, as Bodas do Cordeiro, descritas na linguagem apocalíptica (Apocalipse 19).

Ao celebrarmos 26 anos da nossa Igreja, devemos nos lembrar, agradecidos, do grande amor que o Senhor tem para conosco, e responder com fidelidade.

Ad Majorem Dei Gloriam! (Para a Maior Glória de Deus!)

(Boletim Dominical, 01 de Julho de 2018)

26 Anos e Um Grande Desafio





A história da Igreja Presbiteriana Memorial, é repleta de lutas e vitórias, desafios e conquistas, e ao completar 26 anos temos diante de nós um grande desafio: a requalificação.
No aspecto patrimonial, a requalificação será uma grande reforma a ser realizada em etapas, cuja fundação estamos concluindo. Temos consciência que este desafio demandará muitos recursos, e tempo, e que terá a velocidade das nossas contribuições.
O maior desafio que temos não é a requalificação do Templo físico, mas a requalificação da Igreja que se reunirá nele. O nosso grande desafio é espiritual! Precisamos nos edificar como Igreja.
Tal qual uma noiva que se adorna para o seu noivo, devemos nos preparar para sermos mais agradáveis ao Senhor. E, para tanto, estamos trabalhando nos fundamentos, investindo na formação do conhecimento bíblico do nosso povo, na requalificação doutrinária, na reafirmação da nossa identidade.
Para vencermos este desafio, em duas frentes, é preciso do envolvimento e compromisso de cada membro da Igreja, e cada família, pois, afinal, a Família Memorial é o somatório das nossas famílias, e o fruto da nossa construção comunitária.
Que Deus nos ajude a sermos 20edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular; 21no qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para santuário dedicado ao Senhor, 22no qual também vós juntamente estais sendo edificados para habitação de Deus no Espírito. (Efésios 2.20).
Ad Majorem Dei Gloriam! (Para a Maior Glória de Deus!)


(Boletim Dominical, 30 de Junho de 2018)

quarta-feira, 27 de junho de 2018

Santa Convocação





26 Anos de Lutas e Vitórias
5Congregai os meus santos, os que comigo fizeram aliança por meio de sacrifícios.
Salmo 50.5

Sábado, 30 de julho de 2018
19h Culto de Gratidão
Pregador Rev. Paulo Brasil, IP Aliança

Dia do Senhor, 1º de julho de 2018
08h Culto de Oração

09h Culto Matinal
Pregador Rev. Rodrigo Castro, IP Memorial
“Santa Convocação” –
Baseada no Salmo 95

10h Escola Bíblica Dominical

18h Culto Solene
Prédica Rev. Esli Soares, 4IP de Boa Vista-RR
Baseada em Lucas 3.18

Venha adorar a Deus conosco!

Igreja Presbiteriana Memorial
Rua Prof. Hercliano Pires, 201 – Piedade –
Jaboatão dos Guararapes – PE – CEP 54400-420
Telefones: (81) 3462 7600; TIM 996 680 199

(terceira paralela da Avenida Armindo Moura,
próximo ao COMAR 2/GAP-RF)



CONVITE

A IGREJA PRESBITERIANA MEMORIAL
tem a honra de convidá-lo, e à sua família,
para as comemorações dos seus
26 anos de existência,
conforme programação abaixo

Dia e Hora
Pregador
30/06 às 19h
Rev. Paulo Brasil, IP Aliança
01/07 às 9h
Rev. Rodrigo Castro, IP Memorial
01/07 às 18h
Rev. Esli Soares, 4ªIP Boa Vista, Roraima

Rua Prof. Hercliano Pires, 201 – Piedade –
Jaboatão dos Guararapes – PE – CEP 54400-420
Telefones: (81) 3462 7600; TIM 996 680 199
CNPJ 40.816.142/0001-46
Dados Bancários: Bradesco– Agência 2891 – Conta Corrente 9115-4



quinta-feira, 21 de junho de 2018

Dia do Senhor, 24 de Junho de 2018



5Congregai os meus santos, os que comigo fizeram aliança por meio de sacrifícios.
Salmo 50.5

08h Culto de Oração

09h Culto Matinal
Rev. Rodrigo Castro
“Confiança em Deus” –
Baseada no Salmo 3

10h Escola Bíblica Dominical

18h Culto Solene
Prédica Rev. Alfrêdo Oliveira
“A Pregação de Paulo” –
Baseada em Atos 9.20-25


Venha adorar a Deus conosco!

Igreja Presbiteriana Memorial
Rua Prof. Hercliano Pires, 201 – Piedade –
Jaboatão dos Guararapes – PE – CEP 54400-420
Telefones: (81) 3462 7600; TIM 996 680 199

(terceira paralela da Avenida Armindo Moura,
próximo ao COMAR 2)



CONVITE

A IGREJA PRESBITERIANA MEMORIAL
tem a honra de convidá-lo, e à sua família,
para as comemorações dos seus
26 anos de existência,
conforme programação abaixo

Dia e Hora
Pregador
30/06 às 19h
Rev. Paulo Brasil, IP Aliança
01/07 às 9h
Rev. Rodrigo Castro, IP Memorial
01/07 às 18h
Rev. Esli Soares, 4ªIP Boa Vista, Roraima

Rua Prof. Hercliano Pires, 201 – Piedade –
Jaboatão dos Guararapes – PE – CEP 54400-420
Telefones: (81) 3462 7600; TIM 996 680 199
CNPJ 40.816.142/0001-46
Dados Bancários: Bradesco– Agência 2891 – Conta Corrente 9115-4



sábado, 9 de junho de 2018

Dia do Senhor, 10 de Junho de 2018


5Congregai os meus santos, os que comigo fizeram aliança por meio de sacrifícios.
Salmo 50.5



08h Culto de Oração

09h Culto Matinal
Sem. Eduardo Montarroyos
“E, assim, todo o Israel será salvo” –
Baseada em Romanos 11.25-36

10h Escola Bíblica Dominical

18h Culto Solene
Prédica Rev. Alfrêdo Oliveira
“Um Encontro Transformador” –
Baseada em Atos 9.1-9


Venha adorar a Deus conosco!

Igreja Presbiteriana Memorial
Rua Prof. Hercliano Pires, 201 – Piedade –
Jaboatão dos Guararapes – PE – CEP 54400-420
Telefones: (81) 3462 7600; TIM 996 680 199

(terceira paralela da Avenida Armindo Moura,
próximo ao COMAR 2)


DO CULTO RELIGIOSO E DO DOMINGO
I. A luz da natureza mostra que há um Deus que tem domínio e soberania sobre tudo, que é bom e faz bem a todos, e que, portanto, deve ser temido, amado, louvado, invocado, crido e servido de todo o coração, de toda a alma e de toda a força; mas o modo aceitável de adorar o verdadeiro Deus é instituído por ele mesmo e tão limitado pela sua vontade revelada, que não deve ser adorado segundo as imaginações e invenções dos homens ou sugestões de Satanás nem sob qualquer representação visível ou de qualquer outro modo não prescrito nas Santas Escrituras.
Ref. Rom. 1:20; Sal. 119:68, e 31:33; At. 14:17; Deut. 12:32; Mat. I5:9, e 4:9, 10; João 4:3, 24; Exo. 20:4-6.

II. O culto religioso deve ser prestado a Deus o Pai, o Filho e o Espírito Santo - e só a ele; não deve ser prestado nem aos anjos, nem aos santos, nem a qualquer outra criatura; nem, depois da queda, deve ser prestado a Deus pela mediação de qualquer outro senão Cristo.
Ref. João 5:23; Mat. 28:19; II Cor. 13:14; Col. 2:18; Apoc 19:10; Rom. l:25; João 14:6; I Tim. 2:5; Ef. 2:18; Col. 3:17.

III. A oração com ações de graças, sendo uma parte especial do culto religioso, é por Deus exigida de todos os homens; e, para que seja aceita, deve ser feita em o nome do Filho, pelo auxílio do seu Espírito, segundo a sua vontade, e isto com inteligência, reverência, humildade, fervor, fé, amor e perseverança. Se for vocal, deve ser proferida em uma língua conhecida dos circunstantes.
Ref. Fil. 4:6; I Tim. 2:1; Col. 4:2; Sal. 65:2, e 67:3; I Tess. 5:17-18; João 14:13-14; I Ped. 2:5; Rom. 8:26; Ef. 6:8; João 5:14; Sal. 47:7; Heb. 12:28; Gen. 18:27; Tiago 5:16; Ef. 6:18; I Cor. 14:14.

IV. A oração deve ser feita por coisas lícitas e por todas as classes de homens que existem atualmente ou que existirão no futuro; mas não pelos mortos, nem por aqueles que se saiba terem cometido o pecado para a morte.
Ref. Mat. 26:42; I Tim. 2:1-2; João 17:20; II Sam. 7:29, e 12:21-23; Luc. 16:25-26; I João 5: 16.

V. A leitura das Escrituras com o temor divino, a sã pregação da palavra e a consciente atenção a ela em obediência a Deus, com inteligência, fé e reverência; o cantar salmos com graças no coração, bem como a devida administração e digna recepção dos sacramentos instituídos por Cristo - são partes do ordinário culto de Deus, além dos juramentos religiosos; votos, jejuns solenes e ações de graças em ocasiões especiais, tudo o que, em seus vários tempos e ocasiões próprias, deve ser usado de um modo santo e religioso.
Ref. At. 15:21; Apoc. 1:3; II Tim. 4:2; Tiago 1:22: At. 10:33; Heb. 4:2; Col. 3:16; Ef. 5:19; Tiago 5:13; At. 16:25; Mat. 28:19; At. 2:42; Deut. 6:13; Ne. 10:29; Ec. 5:4-5; Joel 2:12; Mat. 9:15.

VI. Agora, sob o Evangelho, nem a oração, nem qualquer outro ato do culto religioso é restrito a um certo lugar, nem se torna mais aceito por causa do lugar em que se ofereça ou para o qual se dirija, mas, Deus deve ser adorado em todo o lugar, em espírito e verdade - tanto em famílias diariamente e em secreto, estando cada um sozinho, como também mais solenemente em assembléias públicas, que não devem ser descuidosas, nem voluntariamente desprezadas nem abandonadas, sempre que Deus, pela sua providência, proporciona ocasião.
Ref. João 5:21; Mal. 1:11; I Tim. 2:8; João 4:23-24; Jer. 10: 25; Jó 1:5; II Sam. 6:18-20; Deut. 6:6-7; Mat. 6: 11, e 6:6; Isa. 56:7; Heb. 10:25; Prov. 5:34; At. 2:42.

VII. Como é lei da natureza que, em geral, uma devida proporção do tempo seja destinada ao culto de Deus, assim também em sua palavra, por um preceito positivo, moral e perpétuo, preceito que obriga a todos os homens em todos os séculos, Deus designou particularmente um dia em sete para ser um sábado (descanso) santificado por Ele; desde o princípio do mundo, até a ressurreição de Cristo, esse dia foi o último da semana; e desde a ressurreição de Cristo foi mudado para o primeiro dia da semana, dia que na Escritura é chamado Domingo, ou dia do Senhor, e que há de continuar até ao fim do mundo como o sábado cristão.
Ref. Exo. 20:8-11; Gen. 2:3; I Cor. 16:1-2; At. 20:7; Apoc.1:10; Mat. 5: 17-18.

VIII. Este sábado é santificado ao Senhor quando os homens, tendo devidamente preparado os seus corações e de antemão ordenado os seus negócios ordinários, não só guardam, durante todo o dia, um santo descanso das suas próprias obras, palavras e pensamentos a respeito dos seus empregos seculares e das suas recreações, mas também ocupam todo o tempo em exercícios públicos e particulares de culto e nos deveres de necessidade e misericórdia.
Ref. Exo. 16:23-26,29:30, e 31:15-16; Isa.58:13.

(Confissão de Fé de Westminster, Capítulo XXI)









segunda-feira, 4 de junho de 2018

DIFICULDADES & OPORTUNIDADES



E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza.
2 Coríntios 12.9

Na trajetória da vida nos deparamos em vários momentos com dificuldades. Para uns, elas representam a interrupção de planos e projetos, enquanto, para outros, se constituem em uma oportunidade de desenvolvimento, fortalecimento e superação.


Estamos envolvidos em um arrojado projeto de requalificação do Santuário, e temos consciência que se trata de uma grande obra que demandará mais tempo do que gostaríamos, e mais recursos do que dispomos no momento, e em uma situação economicamente instável.

O que faremos diante das dificuldades?


Esmorecer não é uma opção!


Precisamos avançar confiantes no Grande Deus a quem servimos, e nos dispondo a sermos usados por Ele.


Tempo de dificuldades, uma oportunidade para orar mais. O milagre acontece exatamente quando diante da nossa finitude, o infinito poder de Deus se manifesta. Precisamos orar mais, e clamar por uma intervenção divina em nossas vidas, famílias, Igreja e nação;


Tempo de dificuldades, uma oportunidade de superação. Diante das limitações em nosso espaço físico, precisamos nos reinventar para que as atividades não sofram solução de continuidade. Alguns acessos estão mais difíceis, e precisamos cuidar uns dos outros, especialmente dos idosos e crianças. Nosso berçário está temporariamente desativado, o que nos dá uma oportunidade preciosa de, pelo exemplo, ensinarmos nossos pequenos a importância e a reverência no Culto; eles já adoram conosco pela manhã, e agora têm a oportunidade de adorar conosco também à noite.


Tempo de dificuldades, uma oportunidade de consagração. Diante desta realidade, precisamos nos santificar mais. Recolocar as nossas vidas diante do altar, para que em nós o Senhor realize a Sua obra. Para o cristão, o maior desafio é a santificação. As Escrituras Sagradas nos instruem:
Josué 3.5 – Disse Josué ao povo: Santificai-vos, porque amanhã o SENHOR fará maravilhas no meio de vós.
Para ver as maravilhas acontecendo, o caminho é a santificação.


Tempo de dificuldades, uma oportunidade de compromisso. Um dos grandes desafios é o financeiro. Precisamos de recursos! As contas regulares precisam ser honradas, e é indispensável que cada membro da Igreja cumpra seu dever de devolver os dízimos fielmente; a requalificação trouxe consigo novas despesas que precisam ser cobertas por novas receitas. Além do dízimo, é preciso consagrar regularmente ofertas ao Senhor, destinadas a requalificação. Para que a obra prossiga, a Igreja deve responder com compromisso; a velocidade da obra depende da regularidade das nossas contribuições.


Vivemos dias difíceis, mas, precisamos encará-los como oportunidade de superação, através da manifestação do poder de Deus, que se aperfeiçoa em nossas fraquezas, como ensinou o Apóstolo Paulo:
2 Coríntios 12.9 – E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza.


Que o Senhor nos abençoe, e capacite para encarar cada dificuldade como oportunidade.


Ad Majorem Dei Gloriam! (Para a Maior Glória de Deus!)
  
(Publicado no Boletim Dominical da Igreja Presbiteriana Memorial em 03 de Junho de 2018)