Translate

domingo, 20 de outubro de 2013

REVERÊNCIA E SANTO TEMOR


Por isso, recebendo nós um reino inabalável, retenhamos a graça, pela qual sirvamos a Deus de modo agradável,
com reverência e santo temor; (Hebreus 12.28)

Adoração requer reverência e santo temor. Precisamos relembrar e obedecer a esta orientação bíblica, uma vez que vivemos um tempo de adoração epidérmica onde os altares foram substituídos por palcos; os liturgos por animadores de auditório; a centralidade da Palavra pela autoajuda; a reverência pela eferverscência carnal; o senso do divino e majestoso pelo intimismo desrespeitoso, e pela erotização do culto.

A seguir algumas dicas de como cultivar a reverência e santo temor ao Senhor nos cultos:

1. Frequência. Participe dos cultos públicos, pois é um grande privilégio, e um ato de obediência ao Senhor que nos concede sete dias e requer um dia para o seu louvor, serviço e adoração. Não guardar o dia o Senhor e usá-lo para outras atividades é ato de desobediência.

2. Pontualidade. Chegue à hora, ocupe os primeiros lugares e participe ativamente de todas as partes do Culto. Se não nos atrasamos para compromissos que julgamos importantes, como podemos nos atrasar para um Encontro com o Senhor dos Senhores, Rei dos Reis?

3. Permanência. Permaneça no Santuário, e evite ausentar-se, quebrando a adoração pessoal e comunitária;

4. Comunhão. É expressa na unidade em Adoração: em pé, sentado (considerando as limitações físicas de cada um), de acordo com as orientações do boletom e do dirigente; cantando tanto hinos quanto cânticos; ajudando visitantes, novos crentes, e crianças a participarem do Culto;

5. Trajes decentes. É preciso tomar cuidado, nem tudo o que está na moda é digno de ser usado por pessoas que servem a Deus. E ao adorarmos ao Senhor, devemos oferecer sempre o nosso melhor.

Cultivemos uma atitude de reverência e santo temor.


Soli Deo Gloriæ!

(Publicado no Boletim Dominical da Igreja Presbiteriana Memorial, 20 Out. 2013)
Postar um comentário