Translate

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Dia de Finados?

[Mulher visita o cemitério em Manila, nas Filipinas, para homenagear seus entes queridos no Dia de Finados 
(Foto: Cheryl Ravelo/Reuters)]

27E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo, 28assim também Cristo, tendo-se oferecido uma vez para sempre para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o aguardam para a salvação. 
(Hebreus 9.27, 28)

Pelo calendário brasileiro, que está povoado de feriados religiosos, embora a Constituição Federal afirme que o país é laico (art. 5º), ontem foi “comemorado” o “dia de finados”. Feriado que sugere um dia de homenagem e orações por todos os mortos.

A Confissão de Fé de Westminster (CFW XXI, 4) embasada biblicamente ensina: A oração deve ser feita por coisas lícitas e por todas as classes de homens que existem atualmente ou que existirão no futuro; mas não pelos mortos, nem por aqueles que se saiba terem cometido o pecado para a morte. Ref. Mat. 26:42; I Tim. 2:1-2; João 17:20; II Sam. 7:29, e 12:21-23; Luc. 16:25-26; I João 5: 16. Recomenda-se a leitura dos capítulos XXXII e XXXIII da CFW que ensinam respectivamente sobre “Do Estado Do Homem Depois Da Morte E Da Ressurreição Dos Mortos” e “Do Juízo Final” para uma melhor compreensão da doutrina reformada.

Além dos aspectos religiosos envolvidos, existe o viés econômico que impulsiona vendas nas floriculturas e casas do ramo, além de toda a logística envolvida (cemitérios, reforço do transporte público. Etc).

Nas mais de 200 referências diretas aos mortos na Bíblia, não existe nenhuma fundamentação para a prática de orar por eles. Pelo contrário, em Hebreus 9.27, 28 temos alguns indicadores claros a serem lembrados:

  1. O ser humano morre uma vez. A morte põe fim a existência terrena, não havendo outras possibilidades como reencarnação, transmigração de almas, ou intervenção por orações, o que se confirma pela segunda verdade do texto, a seguir.
  2. Após a morte segue-se o juízo. Após a morte os seres humanos comparecem diante do Tribunal de Cristo, para “darem conta dos seus pensamentos, palavras e obras, e receberem o galardão segundo o que tiverem feito, bom ou mau, estando no corpo.” (CFW XXXIII, 1).
  3. Cristo é Suficiente. O sacrifício de Cristo foi completo, e suficiente para a salvação dos eleitos, voltará segunda vez para buscar os seus.

Nós não comemoramos o dia de finados, nem por eles intercedemos por não encontrarmos base bíblica para tais práticas. Portanto, vivamos enquanto é dia, pois a noite vem quando ninguém pode trabalhar (João 9.4).

Soli Deo Gloriæ!


(Publicado no Boletim Dominical da Igreja Presbiteriana Memorial, 03 Nov. 2013)
Postar um comentário