Translate

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Compromisso?!?!

Compromisso é uma palavra que está em desuso, e uma atitude mais difícil ainda. Vive-se a época da falta de compromisso. Reclamam-se direitos, mas esquecem-se deveres.

Faz-se necessário trazer à memória os compromissos assumidos com Deus e Sua Igreja, de forma especial quando da admissão à comunhão da Igreja. Destaque-se o testemunho pessoal, freqüência aos cultos, sustento financeiro, e submissão à disciplina.

TESTEMUNHO PESSOAL – responsabilidade de cada cristão, pela evangelização do mundo, em cumprimento à grande comissão (Mt.28.18ss). Evangelizar é dever de todo crente, visando à expansão do Reino, e ao crescimento da igreja! Testemunho Pessoal é praticado no dia a dia. Parte deste testemunho inclui trazer convidados aos cultos.

FREQUÊNCIA E PARTICIPAÇÃO NOS CULTOS – cada membro da Igreja tem a responsabilidade de participar de suas atividades regularmente (Hb.10.25). É plano de Deus a celebração comunitária. Ele está presente sempre, e não apenas aos domingos. Comunitariamente deve-se exercitar a adoração, a confissão, dedicação, proclamação, o que ocorre através dos cultos que a Igreja mantém dominicalmente, e ao longo da semana. Cada membro da Igreja precisa participar ativamente dos cultos que ela promove.

SUSTENTO FINANCEIRO – contribuir regularmente com a Igreja (Ml.3.6ss). A Igreja é mantida pela contribuição voluntária dos seus membros (2 Co. 9.7,8). As despesas são pagas com esses recursos e a plantação e manutenção de igreja também; não são recebidos subsídios externos, e a administração dos recursos é acompanhada pelo Conselho da Igreja, e anualmente informada à Assembléia de Membros. A participação financeira é um dos deveres do cristão.

SUBMISSÃO À DISCIPLINA – quando se dá o ingresso na Igreja, assume-se sob juramento, o compromisso de submissão e obediência ao seu governo e disciplina (Rm.13; Tt.3.1). Esses juramentos não podem ser esquecidos, nem negligenciados.

Que sejam cumpridos os compromissos assumidos com Deus e a Igreja.


Soli Deo Gloriæ!

(Publicado no Boletim Dominical da IPM, 29 Jun. 2014)
Postar um comentário