Translate

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

O EVANGELHO PARA OS FILHOS DA ALIANÇA



Capítulo I – Entendendo a Necessidade

Livros e manuais sobre crescimento de igreja têm invadido o mercado. Entretanto, é surpreendente o fato de que poucos abordam o crescimento interno através da obra soberana do Espírito Santo, abençoando a criação de filhos na verdade da aliança.

Historicamente, cristãos reformados têm considerado que o crescimento da igreja mais genuíno e sólido ocorre através da conversão de jovens nascidos e criados na igreja. Charles Spurgeon escrevendo a Edward Payson Hammond, autor do livro “A Conversão de meus Filhos”, afirmou, “estou convencido de que dentre os nossos convertidos, aqueles nascidos e criados na igreja estão entre os melhores que temos. Creio que têm sido mais numerosos do que qualquer outra categoria de convertidos e também mais constantes e mais sólidos a longo prazo”.

O parecer de Andrew Bonnar estava de acordo com esse ponto de vista. Ele também escreveu a Hammond, dizendo: “nos despertamentos que nos têm sido concedidos, os casos de pessoas jovens foram inteiramente satisfatórios em relação a outros que tivemos. Se a conversão é obra de Deus, na qual o Espírito Santo revela Cristo à alma, seguramente, sua ação pode ocorrer tanto entre as crianças quanto entre os mais velhos”.

Filhos criados na igreja necessitam ouvir o evangelho nos mínimos detalhes tanto quanto os adultos necessitam. Eles, igualmente, precisam nascer de novo e serem evangelizados. Neste livrete sobre a evangelização dos filhos da aliança, na dependência do Espírito Santo, focalizaremos três preocupações:

1. A necessidade de evangelizar os filhos da aliança;
2. O conteúdo dessa evangelização;
3. Os meios para evangelizar.
_______
Extraído do livro "O Evangelho Para os Filhos da Aliança", Ed. Os Puritanos.
Temos a responsabilidade de compartilhar o Evangelho com as crianças que o Senhor nos confiou – irmãos, primos, sobrinhos, filhos, netos e menores sob nossa influência.





Não podemos esperar que a próxima geração seja comprometida com a Igreja, e o seu Senhor, se não lhe ensinarmos com nosso exemplo e instrução sólida. Os pais são os primeiros professores.

Nossa Igreja tem se preocupado em prover instrução sólida para os seus membros através de mensagens bíblicas expositivas, Escola Bíblica Dominical com matriz curricular dentro da Teologia Reformada em todas as classes, Pequenos Grupos com foco na alimentação espiritual através do estudo bíblico. Conhecer a Bíblia e guardar os seus mandamentos é sinal de amor ao Senhor (João 14.21).

O Senhor nos tem abençoado, e pessoas tem sido atraídas pelo desejo de conhecimento da Santa Palavra de Deus. O convencimento do pecado, da justiça e do juízo é obra do Espírito Santo (João 16.8-11), e não fruto de recursos e metodologias humanas, essa verdade inclui as nossas crianças. Nenhum de nós é melhor que o Espírito Santo para instruir nossas crianças, e devemos ser apenas instrumentos nas mãos da Trindade Bendita.

(Publicado como anexo ao Boletim da Igreja Presbiteriana Memorial

em 16 de outubro de 2016)
Postar um comentário