Translate

quinta-feira, 28 de junho de 2018

A Igreja, Uma Noiva Amada





25Maridos, amai vossa mulher, como também
Cristo amou a igreja
e a si mesmo se entregou por ela,
26para que a santificasse, tendo-a purificado por meio da lavagem de água pela palavra, 27para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, porém santa e sem defeito.
Efésios 5.25-27

Entre as figuras usadas pelas Escrituras para descrever a Igreja, está a noiva. Esta figura ajuda a compreensão do que é ser Igreja, e demonstra o alto valor do casamento, instituição criada por Deus no Éden, antes da queda, e que permanece como ideal de Deus para o ser humano, como célula mater da sociedade.

Em Efésios, a Bíblia diz: Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela. A ênfase, neste texto da tradição parenética paulina, é ensinar os papéis que cada membro da família deve desempenhar no lar, e, então, a relação marido/mulher deve inspirar-se no amor do noivo/noiva – Cristo/Igreja. Diante disso, algumas lições devem ser apreendidas.

ü  A Igreja é profundamente amada por Cristo, que por ela deu a Sua vida (v25);
ü  A Igreja deve ser santa e pura, tendo como critério aferidor a Palavra de Deus (v26);
ü  A Igreja deve apresentar-se ao Seu noivo – Jesus Cristo – gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, porém santa e sem defeito (v27 e Apocalipse 19.8).
ü  A Igreja, em sua trajetória nesta terra, deve ser fiel ao Seu Noivo, Mestre e Senhor (2 Coríntios 11.2; Efésios 5.24).
ü  A Igreja tem por alvo e destino final, as Bodas do Cordeiro, descritas na linguagem apocalíptica (Apocalipse 19).

Ao celebrarmos 26 anos da nossa Igreja, devemos nos lembrar, agradecidos, do grande amor que o Senhor tem para conosco, e responder com fidelidade.

Ad Majorem Dei Gloriam! (Para a Maior Glória de Deus!)

(Boletim Dominical, 01 de Julho de 2018)
Postar um comentário